quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Cheiro das águas

Diante deste mar, ao cheiro destas águas
Que nos separam, vertem palavras como numa nascente e,
Docemente as recebe e as devolve,
Faz-me pensar que vives assim, tão só como eu...
Eu voaria sobre estas águas por um fio de esperança que
Abrandasse o desassossego da minha mente...
Para que eu mesma entendesse,
O desfolhar desta árvore na trilha
Que se segue a minha frente...