sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Ao seu dispor...



É madrugada, não consigo dormir, minha mente voa...
e nestas palavras, minha solidão se sente acompanhada, 
valorizo a efêmera alegria, meditando na tristeza deste dia,
na inconstância dos meus passos, sempre dispostos a errar.
Na sofreguidão com que busco decifrar-te... eu me torno sua vitima, dependente de suas palavras, de seu pensar, de seu mover.
Quando sentir que nada mais falta e, já a distância é ilusória, pode ser que, no desespero do meu ser, eu fuja dos seus braços, ou corra pra você...

01:27 - sábado.