quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Liberta!

 Descobri que o centro da angustia... Onde estive!
Não foi o lugar onde você me pôs e me deixou
Neste lugar de aprendizado eu fui fortalecida
Aqui deixo tudo que me afligiu a vida

Renovada, fecho os olhos, estendo a mão,
Procurando a força de um abraço,
Uma chama que não se apague,
Presa em outro coração.


Eu acredito numa fonte eterna que jorre amor
E anseio por beber desta água...
Pois vejo o sol brilhar através da chuva
E sinto meu coração bater sem nenhuma dor

Encontrei o caminho das flores - a realidade
Por ela paguei com vigilância e temor
Desci ao vale da purificação e renúncia
E lá descobri que eu tenho valor

Que a vida mostra os caminhos
Mas, eu decido qual seguir...
Que dos erros surgem às consequências
E que, sou responsável até por minhas esperanças

Vi que, há razões para toda atitude ou ação
Mas, não devo me martirizar se não as descobrir
Sou livre, deixo a vida seguir com naturalidade
Meu coração descansa na plenitude da liberdade


(repostagem)