segunda-feira, 5 de julho de 2010

A sua presença

Sentada em um banco, alheia a tudo em minha volta
pude tocar um anjo, alvo, humano e celeste
minha mão pela primeira vez desobedeceu meu temor
perdi por um momento o controle e toquei o amor

Sua presença, seu cheiro agora são reais em minha mente
não há mais como fugir, a tristeza tomou-me, estou doente
tenho desistido de tudo, não vejo por que viver
se não pelo que restou em mim do que pude ter de você

Tenho a esperança perdida, não há mais o que perder
não continuo, apenas sigo só... Só assim como se vê
fechada em meu casulo, vivendo apenas por viver

Naquele banco onde o anjo demonstrou sua clemência
permitindo-se ser tocado doando de si a virtude, houve um
milagre real, experimentei da vida, um minuto de essência

O que será da minha vida com sua definitiva ausência?
tive do meu jeito de amar a justa e cruel recompensa
viveria do amor, mas hoje, existo de lembrar sua presença