sexta-feira, 30 de julho de 2010

Homenagem ao poeta e amigo: Arnoldo Pimentel


À você meu primeiro selo.

Arnoldo Pimentel, nascido em 15 de julho de 1961 na cidade Belford Roxo (RJ) é poeta e ativista cultural, faz parte dos grupos de poesia  “Pó-de-poesia”, “Gambiarra Profana” e “Folha Cultural Pataxó”, começou a escrever por volta dos 16 anos de idade, tendo suas poesias um lirismo denso e bucólico, tendo como prioridade escrever poesias de amor, solidão e desesperança. 
Arnoldo além de um grande poeta é um excelente amigo, eu diria que nossa amizade cresceu e se fortaleceu em meio às tribulações em que fomos submetidos, onde quase sucumbimos.
Hoje temos uma amizade como Os montes de Sião, que não se abalam, trabalhamos nossos poemas, somos críticos um do outro e, sou e sempre serei grata a ele.
Arnoldo tem poesias nas antologias abaixo, no seu livro: Ventos na primavera me deu o privilégio de ter dois poemas meus publicados nele.

1984   Poesias escolhidas      -    Independente
1986   Antologia Poetas brasileiros de hoje - Shogun Editora e Arte
1987   Antologia Nova poesia brasileira       - Shogun Editora e Arte
1988   Antologia Nova poesia brasileira       - Shogun Editora e Arte
1990   Antologia Poetas brasileiros de hoje- Shogun Editora e Arte
2009   Antologia Poetas brasileiros vol 54   - Câmara Bras.  Jovens Escritores
2010  Ventos na Primavera                           - Folha Cultural Pataxó

Suas principais Conquistas:
Amizades, Confiança, Prestígio

As coisas que mais valoriza:
Amizade, Honestidade, Trabalho

Pessoas importantes em sua carreira como poeta

Cláudio Alexandre Oliveira (Músico, compositor, poeta)
Silviah Carvalho                   (Poetisa)
Márcio Rufino                       (Poeta)
Ivone Landim                        (Poetisa)
Sérgio Salles-Oigers           (Músico, compositor, poeta)

À Você Amigo fiz este poema

Amigo

Precisei de um amigo
em quem pudesse confiar
que falasse a verdade
que não ignorasse meus defeitos
e sim, me ajudasse a mudar

Um amigo de verdade
que não fosse apenas "mais um"
que ao chegar alegrasse meu dia
e ao sair deixasse saudade

Aquele amigo...
que compartilhasse comigo minhas 
felicidades que não me deixasse só nas adversidades, 
se eu caísse me estendesse a mão

Um amigo de verdade
que na minha sede
me oferecesse água e na minha 
fome não me negasse o pão

Um amigo...
que eu pudesse contar com ele
como ele comigo
que ele encontrasse em mim
um ombro amigo

Um amigo...
de quem eu pudesse dizer:
você é mais que um irmão

E tudo encontrei em você
e hoje posso falar:
você mora no meu coração.

(não esqueça as regras do selo)